fbpx
Start typing and press
Enter to search

Balanço SPFW: Dia 04

Sete marcas desfilaram no quarto dia de SPFW. No geral, as coleções foram pontuadas pela elaboração, seja nas superfícies, modelagens ou ornamentações. Entre as marcas, nomes como Gloria Coelho, Beira e Lino Villaventura chamaram a atenção, bem como estreantes como a Bobstore e três integrantes do Projeto Estufa: Helena Pontes, Ão e Korshi 01. Confira! 


Beira

Gloria Coelho

Para seu inverno 2019, Gloria Coelho trouxe uma coleção com a temática De Volta às Origens. Com esse ponto de partida, a estilista buscou inspirações nos mais diversos lugares, ressaltando desde décadas passadas, como 60, 70 e 80, até referências como cowboy, punk, Yayoi Kusama e surrealismo. Como resultado, a coleção valorizou a praticidade através de materiais como tricôs, seda pura, couro, vinil e neoprene. Nas peças, Gloria manteve seu apelo elegante, porém casual, observado em casacos alongados, suéteres, saias longas e uma alfaiataria clean. Atente para as tonalidades mais sóbrias e detalhamentos como cortes enviesados, cintura marcada e golas altas. Nas superfícies, os prints florais trouxeram um direcionamento mais delicado para os modelos. Finalizando as produções, botas variadas e bolsas estruturadas apareceram em propostas neutras,

Helena Pontes (Projeto Estufa)

O SPFWN46 marcou a estreia da pernambucana Helena Pontes nas passarelas do evento. A estilista, adepta do slow fashion, apresentou a coleção MARIAS, que representa mulheres pássaros, sempre em movimento e livres para voar para onde quiserem. Prezando por tecidos naturais, as peças ressaltaram uma alfaiataria despojada e contemporânea, com cortes soltos ao corpo. Recortes com pontas e assimetrias despontaram na modelagem, remetendo aos bicos e asas dos pássaros. Geometrias e blocos de cor também foram trabalhados, evidenciando tons como preto, laranja, cinza e bege. As joias, desenvolvidas pela estilista Adriana Valente, foram esculpidas a mão, respeitando um processo artesanal a partir de materiais de descarte, e valorizando uma paleta terrosa em harmonia com a coleção. 

Ão (Projeto Estufa)

Com a temática Azuis, Marina Dalagarrondo explorou um visual conceitual em seu primeiro São Paulo Fashion Week. Brincando com shapes e volumes diferenciados, a coleção valorizou cortes irreverentes, trabalhando assimetrias, transpasses e sobreposições. Além disso, outro elemento importante foi o uso de elásticos, trazendo ajustes e texturas interessantes para peças como tops cropped, shorts e vestidos. As propostas monocromáticas, sempre em variações de azul ou branco, contrastaram com complementos como o brincos, trabalhados em formatos irregulares e cores vibrantes. 

Korshi 01 (Projeto Estufa)

Formada pela dupla Pedro Korshi e Albner Moreira, a Korshi 01 trouxe um ar de rebeldia e intransigência para o quarto dia de desfiles do evento. Também parte do Projeto Estufa, a marca focou na versatilidade e no utilitarismo. Exemplificando esse aspecto, diversas peças apresentadas na coleção possuem mais de uma utilidade, como macacões que podem se transformar em vestidos e casacos. Desse modo, modelagens elaboradas chamaram a atenção, bem como os múltiplos aviamentos, como botões, elásticos e zíperes. Bolsos amplos e capuzes reforçaram a estética funcional, assim como os recortes vazados e amarrações. Nos pés, chinelos complementaram as produções.  

Beira

Sob a direção de Lívia Cunha Campos, a Beira segue um princípio de continuidade, valorizando suas coleções através de um processo criativo sem rupturas. Desse modo, as peças não são desenvolvidas para estações específicas, e sim para serem utilizadas em diferentes contextos. Nessa edição, a marca trabalhou um conceito relaxado e despojado, trazendo produtos com texturas e trabalhos de superfícies diferenciados em jeans, seda, linho e algodão. Pinturas a mão foram recorrentes, assim como o uso de técnicas de lavagem e descoloração de tecido, revelando tonalidades bem particulares em cada produto. Feitas para serem usadas tanto por homens quanto por mulheres, atente para os cortes retos e comprimentos alongados, presentes em macacões, conjuntos de blazer e calça, e vestidos. Nos pés, o clássico Chuck Taylor All Star Hi esteve presente em todos os 24 looks. 

Lino Villaventura

Reafirmando seu DNA de uma moda autoral e irreverente, Lino Villaventura mais uma vez surpreende com suas superfícies elaboradas. Texturas promovidas por trabalhos de nervuras, plissados, relevos e bordados foram recorrentes, tanto nos já tradicionais vestidos voltados para a moda festa, quanto em propostas mais casuais, novidades na passarela do estilista. Nesse último caso, destacaram-se calças esportivas e casacos, por exemplo, valorizados por modelagens confortáveis. Prints florais e uso de materiais como jacquard também foram importantes nas criações, complementados por uma ampla cartela de cores, indo desde tons de cinza e preto, até mais vibrantes como amarelo, rosa e vermelho. Scarpins e botas de cano curto, com amarração, arremataram as produções. 

Bobstore

Estreando no line-up oficial do SPFW, a Bobstore trouxe o universo artístico da pintora Georgia O’Keefee como start para seu inverno 2019. Com foco no período em que a artista viveu no Novo México, o western surgiu com grande peso nos produtos. Entre as peças-chave, camisas com recortes, saias em comprimento mini ou mídi e blusas leves ganharam importância. Já nas superfícies, estampas de leopardo, cavalo e flores reforçaram a temática, enquanto a atmosfera de cerrado e flora escassa foi trabalhada na cartela de cores que contou com tons terrosos, preto, vinho e chocolate. Repare que a mescla de materiais e cores foi trabalhada tanto no vestuário quanto nos calçados, enquanto acessórios em parceira com a designer Claudia Arbex, apresentaram brincos assimétricos e metais com brilho intenso. 

Imagens: Agência Fotosite.

Deixe uma resposta