fbpx
Start typing and press
Enter to search

Mercado nacional e os processos de internacionalização

Explorar novos mercados e expandir os negócios nem sempre é uma decisão fácil. Apesar disso, diversas marcas nacionais têm investido na internacionalização e os resultados têm se mostrado muito positivos.
Segundo a Associação Brasileira de Franchising (ABF), em 2018, 145 redes nacionais aparecem operando em 114 países estrangeiros. É interessante destacar aqui, que o segmento de moda é o mais representativo deles, com 35 marcas.

Projetos como o Fashion Label Brasil e Tex Brasil têm como objetivo posicionar a imagem da moda brasileira no exterior. Contando com a parceria com entidades como a Agência Brasileira de Promoção de Esportações e Investimentos (Apex-Brasil) e da Associação Brasileira de Estilistas (ABEST), a ideia é levar marcas brasileiras a importantes feiras, desfiles e showrooms em mercados estratégicos dos Estados Unidos, Europa e Ásia. Entre as participantes, estão nomes como Arte Sacra, Cecilia Prado, Cris Barros, Isolda, Lilly Sarti, Osklen e Triya.

A seguir, confira três marcas com perspectivas de internacionalização para 2019 e como cada uma está adaptando o conceito para seu negócio!

Insecta Shoes

Focada em produtos ecológicos, a Insecta Shoes é um dos nomes que merece atenção em 2019. Focada na criação de produtos exclusivos, a brand traz a ideia de usar roupas vintage na criação de sapatos veganos desde 2014. Agora, os planos são de internacionalização. No mês de abril será lançado oficialmente o e-commerce internacional, a partir de um centro de distribuição na América do Norte, facilitando a logística de envios para todo o mundo. Atualmente com lojas em Porto Alegre e São Paulo, a Insecta conta com pontos de venda multimarcas em Minas Gerais, Estados Unidos, Canadá, Alemanha, Espanha e França.

Farm

Após a presença em feiras e venda de produtos em multimarcas como a Anthropologie, a Farm irá inugurar quatro lojas próprias nos Estados Unidos. Nova York e Califórnia, serão os primeiros estados a receber a marca, juntamente com as vendas do e-commerce. A expectativa da Farm é chegar a 20 lojas no mercado norte americano em 2020. Com foco na estamparia, a ideia é levar as histórias e o visual leve e artesanal da marca para solo estrangeiro.

Renner

A varejista gaúcha Renner também tem planos de internacionalização visando os próximos anos. Em 2016 a marca abriu sua primeira loja fora do país, no Uruguai. O pais, escolhido pela proximidade com o Brasil, bem como as semelhanças entre a distribuição de classes, visa uma expansão de forma mais cautelosa, porém assertiva. Vale lembrar que o grupo Renner, ainda conta com as marcas Camicado, Youcom e Ashua.

Imagens: Divulgação.

Deixe uma resposta